JAVA/Linux – Configurando JDK no linux – Adicionando JAVA no PATH

java_linux

Faça o Download do JAVA JDK:

http://www.oracle.com/technetwork/pt/java/javase/downloads/index.html

Extraia o arquivo baixado para sua pasta de preferência (exemplo: /opt/java_xxxx)

Opcional: Por costume e em caso de atualização do java, para não precisar mudar minhas configurações eu crio um link simbólico para referenciar a ultima versão do java:

$ ln -s /opt/java_xxxx /opt/java_jdk/

Para configurar o PATH, JAVA_HOME, CLASSPATH e MANPATH edite o arquivo:

$ sudo gedit /etc/profile

Adicione as seguintes linhas no topo do arquivo:

#JAVA
export JAVA_HOME=/opt/java_jdk
export CLASSPATH="$JAVA_HOME/lib"
export PATH="$PATH":"$JAVA_HOME/bin"
export MANPATH=/usr/local/man:/usr/man:"$JAVA_HOME/man"

Linux – Descobrindo que processo está consumindo mais memória

hard-tux-process

- como saber o que esta usando a memoria ram
- verificar memória linux
- programas que consomem muita memoria
- verificar consumo memória linux
- como saber o que esta consumindo minha memoria ram
- memoria ram sendo muito usada
- memoria ram linux
- como saber qual programa consome mais memória

Para descobrir qual processo está consumindo mais memória vamos executar o seguinte comando:

ps axo %mem,pid,euser,cmd | sort -nr | head -n 10

Este comando, vai pegar em porcentagem o uso da memoria do processo, pid, usuario, e o comando (ps axo %mem,pid,euser,cmd), depois ele vai ordenar (short -nr) pelo mais pesado pegando os 10 primeiros (head -n 10).

Linux – Executar jar na inicialização do sistema. Jar como serviço. (How to make a jar file run on startup)

java linux tux

Uma maneira fácil de se fazer isso é utilizar o SysVInit.

1 – Você deve criar um script de start e stop para sua aplicação. No exemplo vamos utilizar o diretorio /opt/:

Start Script: /opt/server/myapp-start.sh
Stop Script: /opt/server/myapp-stop.sh

Cada arquivo dará as instruções necessárias para executar e parar o aplicativo.
O conteudo é bem simples, exemplo de como ligar:

#!/bin/bash

java -jar /opt/server/myapp.jar

Para parar, pode ser algo como:

#!/bin/bash
# Grabs and kill a process from the pidlist that has the word myapp

pid=`ps aux | grep myapp | awk '{print $2}'`
kill -9 $pid

2 – Crie um script ‘myscript’ e coloque-o em /etc/init.d.

‘/etc/init.d/myscript’ conteudo: Continue reading

Linux – Modificando o TimeZone (Change TimeZone in Linux)

time zone timezone

Post retirado do vivaolinux.

“Em algumas distribuições, como o Linux Mint e o Ubuntu por exemplo, o timezone é controlado por meio do arquivo /etc/timezone.

Para ver meu timezone posso usar (no terminal) o comando:

# cat /etc/timezone
America/Sao_Paulo

Estou no timezone America/Sao_Paulo.

Para trocar para o timezone de São Paulo para Fernando de Noronha(por exemplo) vamos verificar qual o nome deste time zone fazendo: Continue reading

Dropbox – Unable to monitor filesystem

dropbox

DropBox

Dropbox é um serviço gratuito que permite que você traga suas fotos, documentos e vídeos em qualquer lugar e compartilhá-los facilmente.
Unable to monitor filesystem, esse problema sempre aconteceu comigo ao instalar o dropbox no linux (Fedora e Ubuntu), para resolver é bem simples basta executar a seguinte linha de comando no seu terminal:

echo fs.inotify.max_user_watches=100000 | sudo tee -a /etc/sysctl.conf; sudo sysctl -p

Quem não tem dropbox ainda não sabe o que está perdendo! cadastre-se: http://db.tt/oDz09Ba

Apagando pastas/arquivos recursivamente de um diretório

Neste exemplo estou apagando todas as pastas “.svn” que existe no diretorio que o comando está sendo executado.

Exemplo para Fedora:
$ sudo find -type d -name .svn -exec rm -Rf {} ;

Em algums sistemas o -exec não funciona(Ubuntu), neste caso usamos o -xargs:

Exemplo para Ubuntu:
$ sudo find -type d -name “.svn” -type d -print | xargs rm -Rf {}

O comando procura arquivos com o nome .svn e executa o rm -Rf para cada linha da saida do find. Nota-se que passei o parametro ‘-type d’ que restringe a pastas. Caso queira pesquisar arquivos é só retirar este parametro.

Cuidado com a utilização do ‘-Rf’. O ‘R’ é recursivo e o ‘f’ força a deleção do arquivo, sem perguntar.